11 de março de 2020 13:35

Alunos de Farmácia realizam atividade em laboratório sobre ação de medicamentos em Mossoró

Cortar comprimidos compromete a atuação dos remédios


Alunos da sétima série do curso de Farmácia realizaram um experimento durante aula prática da disciplina de Tecnologia Farmacêutica, sob a orientação do professor Clélio Diogo Soares, para observar como os medicamentos reagem após serem cortados. Segundo o professor Clelio, a intenção da atividade era trabalhar a dissolução e desintegração de medicamentos, alertando para a importância do revestimento dos comprimidos. “Muitas pessoas não sabem, e acabam colocando o tratamento farmacológico em perigo ao cortar comprimidos sem orientação. Essa prática oferece muitos riscos à saúde e nós pudemos mostrar aos alunos como funciona a ação dos remédios no corpo, através dessa simulação”, disse o professor Clélio.

Para realizar o experimento, os alunos separaram comprimidos em 3 tubos de ensaio, onde cada um deles foi preenchido com um líquido, sendo o primeiro, um meio ácido; o segundo, um meio neutro; e o terceiro, um meio básico. “O meio ácido simula o pH do ácido estomacal. Vimos na experiência que o comprimido não se desintegrou, justamente porque o revestimento protege a medicação, para que o comprimido consiga chegar onde deve atuar. Nos outros dois tubos, deu para perceber o remédio se desintegrando, e o fármaco agindo”, disse o professor.

Ainda segundo o professor, durante a atividade, os alunos também aprenderam que há alguns tipos de medicamentos que podem ser partidos, mas possuem algumas características específicas. “A regra geral é que nunca devemos partir nenhum tipo de comprimido, principalmente se esse for revestido. Os comprimidos que, por ventura, podem ser partidos, em geral tem uma fissura no meio e não possuem revestimento, e contêm a informação na embalagem, de que podem ser cortados, ou mastigados”.