12 de maio de 2021 11:01

Alunos de TI desenvolvem software de gestão médica para Governo do RN

Kiron Saúde começou a ser utilizado em março no Hemonorte e possibilita acompanhar o atendimento de cada paciente, do início ao fim

Alunos de Tecnologia da Informação da UnP desenvolveram um software de gestão médica que possibilita acompanhar o atendimento de cada paciente em uma unidade hospitalar. Batizada Kiron Saúde, a plataforma foi implantada no Hemonorte em março de 2021.

Em desenvolvimento há 4 anos, o software é fruto da parceria entre o Governo do RN e a UnP, concretizada através do convênio de cooperação firmado há cerca de dois anos. O projeto foi coordenado pelo Prof. Hideljundes Paulino, com a participação de alunos do Centro de Excelência em Pesquisa Aplicada (e-Labora) dentro do programa e-Code – que já produziu o portal da Central do Cidadão, entre outras soluções.

As unidades hospitalares costumam contratar softwares de gestão para auxiliar a administração de atendimentos aos pacientes, a um custo mensal de manutenção. A plataforma virtual desenvolvida pelos estudantes da UnP proporciona uma grande redução de gastos para o Governo do RN, já que o Estado terá autonomia sobre a gestão das unidades de saúde, não sendo necessário o pagamento dos “aluguéis” à outras empresas.

O software Kiron Saúde cumpre a função de gestão das unidades de saúde do governo, gerindo desde operações básicas até tomadas de decisão mais estratégicas. Como é de fácil manuseio, as próprias equipes de servidores do Estado poderão utilizar a ferramenta apenas com um simples treinamento.

“O conceito do Kiron é ter um sistema integrado em que todos os setores façam parte em rede, possibilitando ao gestor da pasta ter uma visão estratégica de toda unidade”, afirmou o professor Hideljundes Paulino.

No Hemonorte, os médicos já podem utilizar prontuários eletrônicos. Ou seja, diminuirá significativamente o acúmulo de papéis, fichas perdidas ou informações desatualizadas. Assim, o prontuário de cada paciente permanece sempre em dia e pode ser acessado de dispositivos eletrônicos, promovendo maior controle sobre o tratamento individual.