23 de agosto de 2021 17:14

Artigo de professora e alunos de Educação Física avalia efeitos do balé clássico em idosas

Estudo concluiu que a dança para a terceira idade é uma atividade física que incentiva a socialização, a autoestima e promove o desejo da satisfação

Os efeitos do balé clássico em idosas foram o tema de um estudo na área da Educação Física no Rio Grande do Norte. Os resultados do trabalho estão publicados na periódico científico Brazilian Journal of Health Review e mostram que a prática da dança contribuiu para uma grande mudança no comportamento, nas atitudes e na saúde das mulheres da terceira idade.

O trabalho é assinado pela Profa. Me. Ana Camila Campelo, do Curso de Educação Física, e mais quatro alunos da Graduação da UnP: Antônio Eduardo de Oliveira Silva, Marcelo Gomes de Souza, Andersson José Lopes Barbosa, Ramile Cristyan dos Santos. Além deles, também participa como autora do trabalho Fernanda Beatriz Lima, bacharela e licenciada em Educação Física.

Para chegarem às conclusões, os pesquisadores acompanharam um grupo de 13 alunas que frequentam aulas no Serviço Social do Comércio (SESC) em Natal. Para a coleta de dados foi realizada uma entrevista com aplicação de um questionário. As entrevistadas relataram que perceberam grandes mudanças relacionadas à melhora da disposição, do humor e autoestima.

O estudo concluiu que o balé para a terceira idade é uma atividade física que incentiva a socialização, a autoestima e promove o desejo da satisfação, contribuindo de forma significativa para a qualidade de vida favorecendo a saúde em todos os aspectos, principalmente na construção do amor a si mesmo e do autoconceito que havia se perdido.

Para acessar o artigo completo, clique AQUI.