13 de julho de 2020 14:31

Primeira casa construída com impressora 3D no Brasil será no RN

Vem do Nordeste, mais precisamente do Rio Grande do Norte, a tecnologia que construiu a primeira casa através de uma impressora 3D do Brasil. A estrutura pioneira foi concluída em julho deste ano após cerca de seis meses de ajustes na fase experimental. Quando o projeto estiver em condições ideais, a máquina deve ser capaz de construir a estrutura em até 24 horas.

O trabalho é fruto de uma pesquisa iniciada há três anos. Os Engenheiros Civis Allynson Xavier e Iago Felipe Silva iniciaram o projeto na Universidade Potiguar, integrante da rede Laureate, com base em outras iniciativas já existentes em países como Rússia e China.

Apesar disso, de acordo com o Prof. Dr. André Felipe Oliveira de Azevedo Dantas, orientador da pesquisa, essa é uma tecnologia ainda recente no país e no mundo. “Não temos conhecimento de outro trabalho desse tipo no Brasil que esteja no estágio em que estamos”, afirma.

Compostos

A estrutura desenvolvida por Iago – que tinha experiência com impressoras 3D convencionais – replica o princípio desses equipamentos, mas utiliza o concreto como matéria-prima para erguer as paredes. Já Allynson ficou responsável pelo composto cimentício que levou seis meses para que sua primeira versão fosse criada, de forma a chegar aos níveis aceitáveis para a formação de camadas.

Assim, em um terreno no município de Macaíba, foram feitas as fundações convencionais e, em dezembro de 2019, os pesquisadores iniciaram a construção de uma casa de 66,81 m². Nesta etapa do teste experimental, a impressora e o material de construção iam recebendo ajustes e adequações para que pudessem operar de forma a ressaltar as reais necessidades para a implementação em escala industrial.

Apesar de terem finalizado com sucesso o primeiro modelo impresso, o grupo de pesquisadores busca patrocinadores para financiar a continuidade do projeto. Eles já contam com o apoio de 3 grupos de pesquisa, empresas privadas de projetos de engenharia e de apoio jurídico.

O trabalho de pesquisa conta com o apoio do Centro de Excelência em Pesquisa Aplicada da UnP, o e-Labora. Para ser iniciada, foram emitidos todos os alvarás necessários para a construção em órgãos como a Prefeitura de Macaíba e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RN) que acompanharam e fiscalizaram a obra de perto.

Agilidade e Sustentabilidade

A impressora 3D não apenas agiliza o processo construtivo, mas também oferece qualidade e sustentabilidade. A mistura de concreto desenvolvida pelos potiguares, após 8 dias, é capaz de resistir a uma alta pressão.

Outra vantagem é que 30% do material descartado num processo normal de construção civil pode ser economizado através da industrialização. Além disso, o método criado diminui os custos com mão de obra e minimiza o desperdício, sendo por isso melhor para o meio ambiente.